19/05 10:08

SEAP encerra primeira fase de vacinação aos servidores do sistema penitenciário

encerramento das vacinas

Nesta terça-feira, 18, foi encerrada a primeira fase da vacinação aos servidores do sistema penitenciário contra a Covid-19, incluídos no grupo de servidores da segurança pública estadual.

Na Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) mais de 4 mil servidores receberam a 1ª dose da vacina, que foi disponibilizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Entre os imunizados estão os setores administrativos, policiais penais nos cargos de auxiliar de segurança penitenciário e agente penitenciário. Além dos grupamentos de segurança o Grupo Especial de Operações Penitenciárias (GEOP), da Força de Pronto Emprego (FPE) e das Supervisões de Segurança Externa (SSE) e Interna (SSI), da capital e no interior do Estado.

O último dia de vacinação foi acompanhado pelo secretário da SEAP, Murilo Andrade, e pelo secretário da SES, Carlos Lula, no drive-thru do São Luís Shopping. “Este trabalho hoje está concluindo a sua primeira fase, graças ao empenho do governador Flávio Dino em ampliar os grupos prioritários a serem vacinados como os servidores do sistema prisional, e também por ser referência nacional no avanço de aplicações da vacina”, disse o secretário da SEAP, Murilo Andrade.

oto secretário Murillo jpg

A SEAP durante 40 dias disponibilizou equipe administrativa e de saúde, entre enfermeiros e técnicos de enfermagem para a aplicação da vacina aos servidores da área da segurança pública e aos profissionais da educação.

“Hoje agradecemos a parceria que foi realizada com todos os profissionais que estão envolvidos, além do gesto de solidariedade em realizar este ato de cuidado ao próximo. Vamos parar e em breve retomar a segunda dose e vencer a pandemia”, concluiu o secretário Carlos Lula, da SES.

Foto Secretario no fim da vacinação

A partir do mês de julho, os servidores devem seguir o calendário e completar o esquema vacinal para receberem a 2ª dose da vacina, que é imprescindível para a eficácia prometida fazendo as duas aplicações.
O intervalo entre as doses deve ser de 14 a 28 dias para a Coronavac e de três meses para a da AstraZeneca.

Texto: Camilla Andrade

Fotos: Clayton Monteles

—————————————————————————————————————————————————————–

Contatos

contatos

GERAL

Fone: (98) 99101.5131

Localização

localização